Skip to main content

Quarta Colônia, um passeio na história da imigração italiana

Quando os imigrantes italianos começaram a chegar ao Brasil, eles foram encaminhados para vários núcleos criados pelo Governo Imperial. Um deles foi a Quarta Colônia ou 4º Núcleo de Imigração Italiana do RS. Ela fica em torno de 290km da capital, Porto Alegre, bem na região central do Estado. 

 

Um passeio pelas cidades dessa região pode incluir visitas a igrejas e construções típicas de madeira, compras de produtos coloniais e o belo visual das paisagens. O interessante é ir de carro e fazer um tour pelas estradas alternativas. Veja algumas dicas de locais para visitar:

 

Silveira Martins

Uma cidade para apreciar a beleza do passado e descobrir o vigor do povo italiano, fortalecido pelo trabalho e dedicação pessoal, característica destes imigrantes. É reviver também as tradições italianas, que sobrevivem há mais de um século de colonização. A área central da cidade preserva aspectos da sua ocupação histórica, sobrados de antigos hotéis e casas comerciais, construídos no alinhamento da calçada.  O campanário da Igreja Santo Antônio de Pádua foi inspirado na torre da Igreja de Caorle, na Itália. 

 

Monumento ao Imigrante

Inaugurado no dia 29 de outubro de 1977, em comemoração ao centenário da imigração em Silveira Martins. O monumento representa a fé e a religiosidade dos italianos e ao visitá-lo pode-se apreciar uma vista deslumbrante do vale.

 

Monte Grappa

Escalar ou realizar uma caminhada noturna nos 520 metros do Monte Grappa (todo iluminado), em Ivorá, que recebeu esta denominação por recordar o famoso monte de mesmo nome da Itália. No percurso, além das belezas naturais, há uma Via Sacra composta por 15 capitéis e culmina numa capela em homenagem a Nossa Senhora Della Guardia.

 

Caminho da Uva e das Águas

Percorrer as comunidades de Val de Buia e Val Feltrina, em Silveira Martins, oportuniza aos visitantes um contato com a natureza através das cascatas, balneários e belvederes que destacam a paisagem de morros e vales, além de visitar propriedades rurais caracterizadas pela tradição centenária de produção de uvas e onde também é possível adquirir produtos coloniais como vinho, massas, cachaça, hortifrúti e outros. Nas localidades típicas como Val Feltrina, Val de Buia e Pompéia, o visitante encontrará toda uma arquitetura típica, baseada em pedra e tijolos, uma característica da paisagem rural e urbana das localidades de imigração italiana na Região Central do Estado. 

 

Vale Vêneto

Outra boa dica é visitar a localidade de Vale Vêneto, em São João do Polêsine, que preserva fauna e flora ricas e que, em conjunto com o casario do entorno da Igreja Corpus Christi, compõem um belíssimo e típico cenário rural das comunidades italianas no Estado. A Igreja Matriz, com sua torre em formato de cálice com uma hóstia na parte superior, abriga, no teto, as pinturas do italiano Ângelo Lazzarini, baseadas em temas bíblicos. Nesse distrito é onde se realiza o Festival Internacional de Música Erudita, todos os anos no final de julho e início de agosto. 

 

Recanto Maestro

Hoje Recanto Maestro é um distrito localizado nos municípios de São João do Polêsine e Restinga Seca. Além das belezas naturais, é possível desfrutar de uma série de atividades culturais promovidas pela Faculdade Antonio Meneghetti, além de serviços especializados como spa, conta com uma estrutura completa com hotéis, pousadas, restaurantes. O Recanto Maestro oferece alternativas práticas para solucionar os problemas relacionados à educação, à formação de profissionais competitivos, ao incentivo à produção agrícola e de pequenas e médias empresas locais. Oferecendo um modelo para a qualidade de vida integral do ser humano.

 

 

A Quarta Colônia abraça as cidades de São João do Polêsine, Ivorá, Faxinal do Soturno, Silveira Martins, Pinhal Grande, Dona Francisca, Nova Palma, Restinga Sêca e Agudo, e praticamente todas oferecem opções de cafés coloniais, almoços, jantares, vinícolas, degustações, passeios e hospedagem. Trilhas, esportes radicais, cascatas e cachoeiras e festejos locais típicos também fazem parte da diversidade de atrações que a região oferece. E depois de passear muito, que tal passar no DiPaolo para fechar a imersão italiana com alegria à vontade?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *